Aprender, viajando!

Olá,

Existem imensos acontecimentos que vão moldando o nosso espírito. Uma doença grave, uma pessoa que parte, um desgosto de amor ou até uma viagem. Pode até parecer leviano estar a comparar estes diferentes pontos, mas uma coisa é certa! Nós estamos vulneráveis ao mundo que nos rodeia. Por mais muros que façamos à nossa volta, procurando a segurança e o conforto, vai sempre existir algo arrebatador que o pode fazer resvalar. Esta é a verdade! Pelo contrário, pessoas que estão mais disponíveis para a mudança acabam por ser mais felizes, porque não constroem um mundo “seguro” que não existe.

Uma das viagens que mais me marcou, despertou os sentidos e me fez crescer foi Cabo Verde, em 2013. Em Portugal nunca tinha visto a verdadeira pobreza. Talvez porque fui sempre protegido pelos meus pais. O que é certo é que esta viagem me pode mostrar ambos os lados da moeda. Por um lado, a riqueza de estar num resort com todas as comodidades (piscina, jacuzzi, bebidas e comida à descrição, etc), onde pratiquei snorkling e apanhei um sol maravilhoso. Por outro, numa visita pela ilha, a observação de pobreza extrema, com pessoas a necessitar de tudo.

Na escola Zeca Ramos na Ilha do Sal, uma que visitámos, a realidade era semelhante. A professora dizia que alguns dos miúdos faziam a única refeição na escola, por exemplo. As pessoas (turistas) que iam connosco levavam material para oferecer aos alunos. O nosso guia, Ulisses chegou-nos a dizer para o entregarem em mão, já que muitas vezes, se se entregasse o material aos professores, estes iam vende-los para as feiras. A evidência de um povo cheio de necessidades.

Na rua, alguns miúdos caminhavam nus, mostrando a despreocupação/desconhecimento dos riscos de doenças.

E por fim, o que mais me tocou, foi a visita a uma favela. Um mar de barracas e pessoas em extrema pobreza. O guia não nos deixou sair da camioneta e as pessoas aproximaram-se porque sabiam que iamos oferecer comida, eventualmente a única que iam comer nesse dia. Ainda chegamos a parar no infantário da favela, um edificio inacabado onde estavam imensas crianças em actividades educativas. Todos os brinquedos tinha sido deixados por turistas. Podemos abraçar algumas delas.

O contacto com esta realidade foi completamente diferente do que tinha planeado para a viagem. Por norma idealizamos contacto com a natureza, a cultura e relaxamento. Mas o guia fez questão de passar por locais que nos iam “tocar” e sensibilizar. E por isso, esta foi uma das viagens que mais me fez crescer, despertando-me para o respeito que deve haver para com outras culturas, ou a preservação dos dos locais que visitamos, não poluindo e não interferindo com a natureza.

É muito importante aprendermos a relativizar os nosso problemas, e focarmo-nos em seguir em frente. Não precisamos de viajar para sermos assim. Mas há certas experiências que nos tocam e, nas quais aprendemos com elas!

 

A @momondo incentivou-me a escrever este texto como forma de demonstrar como podemos crescer ao viajar.

Marca a tua próxima aventura, pesquisando um voo

#owtravelers e #admomondo

Braie’s Lake – O Lago de Braie’s

Achei giríssimo o desafio lançado pela @Momondo para partilharmos dicas de outros embaixadores espalhados pelo mundo. Por isso, hoje vou partilhar um daqueles locais que parecem reconditos, mas lindos, o Lago de Braies. O texto foi excrito em inglês pelo Riccardo do IG @brigrc. A fotografia está maravilhosa e cativou-me logo. O local, descobriu porque ele partilhou este texto:

Inglês: Lago di Braies is often referred to as the most beautiful lake in the South Tyrol, where the emerald green lake is featured as the backdrop. Go there in the early morning at sunrise. Then you’ll have most of the lake all to yourself and there’s more likely to be reflections from the mountains as well. Rent a boat, this makes for a great experience and gives you a different point of view. Walk around the lake, is about 4 kilometers and takes about 2 hours depending on how fast you walk.

Português: O lago Braies é frequentemente referido como o lago mais bonito do sul do Tirol, onde o lago verde esmeralda é destaque como pano de fundo. Vai lá de manhã cedo ao nascer do sol. Então terás a maior parte do lago só para ti e é mais provável que haja reflexos das montanhas também. Aluga um barco, isso proporcionará uma ótima experiência e oferece um ponto de vista diferente. Caminha em redor do lago, tem cerca de 4 quilometros e leva cerca de 2 horas, dependendo da velocidade com que andas.

Fui investigar onde fica a zona do Tirol e fica no norte da Itália, acerca de duas horas de Veneza. Por isso, podes sempre marcar o voo e dar lá um saltinho!

IG e FB – @BRIGRC

 

Também partilhei um artigo sobre os Açores, uma das nossas pérolas turísticas que já está a ser partilhado pelo Mundo! 😉 Um dia destes deixo aqui o texto com o top a visitar naquelas ilhas!!

#owtravelers #admomondo

 

Ofertas de escapadinhas urbanas na Europa

O Verão acabou, mas isso não quer dizer que tenhas de ficar em casa! O segredo para viajar mais está no planeamento. Quanto mais cedo decidires o destino, mais baratos podes encontrar os voos!

As companhias aéreas estão a oferecer voos mais baixos para os meses que se avizinham! A @momondo tem uma página de ofertas, sabias? Uma página que é actualizada todos os dias com os preços mais baixos para alguns destinos e onde podes encontrar algumas dessas oportunidades.

São voos para a Europa desde 26€. Até tem oportunidades para destinos de sonho a preços muito convidativos.

IGTV – Video sobre as ofertas do dia.

 

Obrigado

#admomondo #owtravelers

Da ficção à vida real: viagens inspiradoras

A @Momondo perguntou aos seus embaixadores que obra de ficção nos inspirou a visitar um destino em particular. E deixou-me a pensar…

E lembrei-me logo de Londres e dos cenários ligados ao James Bond, o famoso agente secreto 007. Aquela metrópole é qualquer coisa de extraordinário, até porque os londrinos conseguem preservar bem os detalhes da sua história. Ou terá sido ao contrário? Os filmes é que retrataram bem os detalhes históricos da cidade de Londres!?

Anyway, o que interessa é que entramos em Londres e os cenários vêem-nos logo cabeça. As referências visuais são imensas, se não vejamos:

  • Os taxis pretos modelo Austin FX4 estão por todo o lado
  • O Rio Tamisa foi palco de imensos combates e duelos e é o veio central da cidade, com imensas atrações na sua orla. Principalmente quando passavam em frente à roda gigante (London eye)
  • A sede do MI6 é junto ao rio Tamisa
  • Westminster e a Downing street ficam pertísssimo uma da outra e relembram-nos os meetings entre o agente secreto no inicio dos filmes.
  • A igreja de S. Paul também apareceu recentemente no filme intrepretado por Daniel Creg.
  • Buckingham Palace ainda é morada da rainha Isabel II. À porta ainda encontramos a guarda real que tantas vezes aparece nas películas.

A lista é infidável. Mas lembro-me que quando voei para Londres, senti-me logo em casa. Era como se já lá tivesse estado. É uma cidade que dá vontade de conhecer em busca de todas as referências visuais e históricas. E os voos são mesmo baratos!

Vê os meus dois artigos sobre Londres e Londres Clássica.

 

#owtravelers #admomondo

6 de Agosto – As minhas almas de viajante

Hoje é dia de aniversário.

A @Momondo quer que eu viaje no tempo e identifique o momento em que tomei noção da minha alma de viajante! Sem sombra de dúvidas que tive que “viajar” algumas décadas para trás. E sugiro que faças esta viagem também. Desde quando é que sentes que tens alma de viajante?

Podia dizer que foi desde que me casei, há 5 anos, quando eu e a Ana começamos a palmilhar o mundo com 3 a 4 viagens por ano.

Podia dizer que foi por inspiração dos meus cunhados, o Miguel e a Cláudia. Desde à 12 anos que palmilham o mundo, primeiro em viagens de avião e agora de autocaravana.

Podia dizer que foi graças à TAFEP (Tuna académica da Faculdade de Economia do Porto), que em várias digressões, atravessámos ruas e palcos da Europa e Canadá, encantando os mais diversos públicos.

Podia dizer que foi disto tudo.

Mas lá no fundo foi graças aos meus pais. À minha mãe porque viajou de Portugal para o Brasil ainda nova, tendo voltado aos 14 anos para Portugal. E ao meu pai, que há mais de 36 anos fez um inter-rail pela Europa, visitando as principais capitais europeias. Juntos levaram-nos (a mim e ao meu irmão André) a conhecer Portugal, nas férias e aos fins de semana. Juntos fomos de carro a Madrid, Barcelona e Paris, num citroen ZX. Muitas vezes andámos de roulote por Portugal e Espanha, desbravando estradas e horas de viagem. Juntos fizemos as primeiras viagens de avião, quando há 15 anos atrás íamos para as Canárias ou Maiorca, e nos encentivavam a bater palmas quando o avião aterrava (nessa altura ainda se batiam palmas!!!).

E assim continuam, a viajar e a descobrir, mostrando que ao invés de “parar é morrer”, viajar é viver! Hoje continuam a planear visitar novos países e lugares.

Este é o nosso mapa mundo, num total de 38 países visitados.

Desde há 36 anos que o dia de hoje é especial. Hoje fazem anos de casados.

Muitos parabéns! Não percam essa energia, nem deixem de dar as mãos, porque isso inspira!

#owtravelers e #admomondo

Serra da Freita – Descobrir e explorar!

A @Momondo desafiou-me a partilhar um destino alternativo da minha região. Um local onde é possível descansar uns dias, com boas comodidades e longe dos atropelos turísticos.

Sim, é ótimo viajar, mas às vezes vemo-nos rodeados de tanta gente que nem conseguimos desfrutar do local. Depois de picar o ponto, só dá mesmo vontade de desaparecer. É cada vez mais importante termos locais “só” nossos.

Um desses que prometi explorar melhor é a Serra da Freita. Algum tempo depois de terem sido inaugurados os Passadiços do Paiva, passeei por aí e achei que era quase inexplorada. Na zona mais alta existe menos mato e é possível vislumbrar as montanhas e os vales da Serra. Paisagens maravilhosas que nos tranquilizam e nos deixam em paz. Fico sempre com a sensação que temos receio de conhecer e divulgar locais que não são o mainstream do turismo. Existem imensos lugares, de valor cultural e paisagístico, que não merecem a devida atenção.

Eu adoro este tipo de locais. É possível ouvir a Natureza e focarmo-nos noutros problemas como a lente a utilizar, velocidade de obturação ou melhor pose para a foto. A riqueza gastronómica deste local também é fantástica.

Tantas vezes abrimos as redes sociais e vemos os nossos amigos a viajar para montes de sitíos. E assim menosprezamos oásis aqui mais perto! Nunca pensaste nisso?

Assim, a não perder na Serra da Freita:

– Geopark de Arouca;

– Mosteiro de Arouca;

– Passadiços do Paiva;

– Carne da raça Arouquense;

– Doces conventuais;

– Aventura (rafting e canoagem no rio Paiva);

Estes são apenas alguns exemplos

Dá aqui umas vista de olhos nos hotéis das proximidades. Existem preços muito apelativos para uma escapadela! Link aqui

Lembrei-me que tinha feito um video dos Passadiços do Paiva, quando comprei o drone. Vou voltar a deixar aqui o link

 

arouca, geopark, travelblog, momondo, passadiços do paiva, escapadinha, joao tiago oliveira

arouca, geopark, travelblog, momondo, passadiços do paiva, escapadinha, joao tiago oliveira

arouca, geopark, travelblog, momondo, passadiços do paiva, escapadinha, joao tiago oliveira

arouca, geopark, travelblog, momondo, passadiços do paiva, escapadinha, joao tiago oliveira

#owtravelers #admomondo

 

Uma peça no mundo

Viajar pelo mundo é um dos melhores prazeres que tenho. Refletindo bem sobre essa ideia, há vários fatores que nos podem levar a viajar. Por exemplo, a natureza e a cultura são o que mais me empolga.

O facto de podermos ir a um local e contemplarmos a Natureza e as diferentes culturas, praticamente já só depende da humanidade. Porque ao mesmo tempo que a destroí, também a conserva. Ninguém quer viajar para um local sem beleza natural, em guerra, ou despido de cultura. Por isso, mais do que tudo, o que nos une são as pessoas e a diferença que elas podem fazer pelo mundo.

A Momondo realizou um video inspiracional sobre este tema: How far would you go to bring the world closer together? – The world Piece!

Convido-te a veres e perceberes a visão da @momondo sob o lema da tolerância e desenvolvimento, proporcinando melhores condições a todos para viajar.

 

#owtravelers #admomondo

As melhores razões para fazeres o download da App da Momondo

Olá,

Uma das razões porque apaixonei pelo programa de embaixadores da @Momondo é o facto de poder partilhar, com todos, o meu hobbie pelas viagens e realização de videos!

(Se não tens a APP ou pretendes ter com todas as especificações que vou aqui falar, faz o download através do meu link. Este link direcciona-te diretamente à Playstore ou Apple store!)

Nestes dois anos em que pertenço ao programa, a evolução da app foi fantástica. Para ti, que viajas menos ou mais, não interessa! O facto de poderes aceder a fotos inspiradoras, dicas e da parte operacional da app faz com que aumentes a tua probabilidade de viajar

  • Acciona alerta de preços para voos
  • Faz a marcação de voos
  • Descobre a tua melhor rota
  • Descobre hoteis em lugares espantosos e aos melhores preços
  • Mede a tua mala com a camera do telemóvel e diz-te imediatamente em que companhias aéreas a autorizam

Para te ilucidar de todas as potencialidades da APP, fiz um pequeno video. Espero que gostes e se puderes subscreve o meu canal de Youtube também!

Obrigado e boas viagens!!

#owtravelers #admomondo

De ON para OFF, dois destinos para desligar com a Momondo!

Quantas vezes nos fartamos da rotina e só queremos desaparecer, ficar uns momentos a sós sem séries, tv, telemóvel, redes sociais enfim: Dar mais tempo à família, filhos e outras coisas que, por vezes, perdem relevância. Todos precisamos de um detox digital para nos alhearmos do mundo e voltarmos a nós (e o nosso polegar também precisa de descansar).

A Momondo desafiou-me a eleger dois destinos em que te podes alhear de tudo – Sem tv, sem telemóvel – só tu e o mundo.

Os dois sítios para onde viajei, e mais me senti esse alheamento foram:

1º Marrocos. Impossível ficar ligado quando existem campos e montanhas infinitas sem rede! Cheguei a viajar dias inteiros, contemplando apenas as paisagens deste belo país. No deserto do Sahara é que foi mesmo um retiro espiritual! Só nós e as dunas. A animação no acampamento fez-nos perceber que, também é delicioso acabar o dia ao som dos tambores dos berberes!

2º Cuba. É outro destino onde é impossível ter internet. Em Havana por exemplo, os cubanos juntam-se nas praças de wifi para aceder à internet. As ligações são tão fracas que mais vale mesmo a pena esquecer. Concentra-te antes em andar pelas calles e beber uns mojitos pelos bares cubanos!

Por isso, se te sentiste inspirado para desligar do mundo corre para Momondo e pesquisa um voo ou hotel onde possas planear a tua viagem e desfrutar de um detox digital!

@momondo, #owtravelers e #admomondo

 

Os melhores destinos de Verão

A Momondo desafiou-me a escrever sobre os melhores destinos de Verão para este ano.

Todos os dias sou inundado por conteúdo relacionado com viagens, paisagens, videos, fotografias de lugares fantásticos. É engraçado que a maior parte deste conteúdo chega através dos meus amigos, pessoas que sigo nas redes sociais, e que me levam a pesquisar mais sobre os locais partilhados. Ou seja, na verdade eu inspiro-me em todos vocês. É o mundo da partilha.

Assim os lugares que me despertaram maior interesse para este ano são três. E escolhi estes três porque são acessíveis e relativamente próximos. Porque haveria de estar a escrever sobre destinos que não “conseguirei” ir este ano!? Até ao momento sei que apenas vou concretizar uma das viagens abaixo mencionadas. As outras estão a ser cozinhadas!!

1º Marrocos

Pois! Esta será a minha próxima viagem. Vou estar 2 dias em Marraquexe, e os restantes dias num periplo pelo deserto do Sahara, o maior do mundo! Areia e mais areia!! Estou ansioso por “provar” a cultura marroquina através dos souks, riads, planicies e montanhas que este país possui!!

2º Croácia


No instagram tenho vindo a gravar as praias mais bonitas que apanhei. Aquela água transparente já me hipnotisou! Para além disso há um facto que me deixa ainda mais querer visitar este país. A junção entre a cultura italiana e a península dos Balcãs devem revelar-se uma autêntico pote de emoções e experiências culturais!

3º Madeira

Foto de Diego Freitas.

É o arquipélago que me falta conhecer do nosso Portugal! Nunca me chamou muito a atenção mas, recentemente começaram a aparecer algumas paisagens que me cativaram! E a possibilidade de as captar despertaram o interesse em viajar até este destino.

Acho que é facil identificarmo-nos com estes destinos e têm tudo o que precisamos para passar ums boas férias e a um preço razoável!!

Como o preço é sempre um fator importantíssimo no momento de decisão procura sempre um site que te permita obter logo uma ideia dos preços. Para isso podes sempre utilizar o site ou app da momondo para reserva de hoteís e voos!!

 

Acho que fiz boas sugestões, agora é concretizar os planos!

 

 

@momondo, #owtravelers #admomondo