Um destino para 2019

A Momondo desafiou-me a partilhar um dos destinos que gostaria de visitar em 2019!

Neste exercício, juntei-me a alguns dos meus amigos do programa de embaixadores da Momondo e fizemos um vídeo da nossa partilha de ideias, na baixa do Porto. Excepto a Vera Mendes e a Cátia Ferreira que não estão em Portugal, mas que se associaram, enviando o seu destino, num curto vídeo. Os restantes participantes são o João Lago, a Sofia Moreira e a Ana Neto.

A minha escolha recai sobre a Croácia! Já idealizei esta viagem vezes sem conta. Alguns amigos que já visitaram recomendaram por ser um país bonito e até relativamente barato. O que é ótimo para quem gosta de sair várias vezes de Portugal! Eu pelo menos, estou sempre pronto! O mais fantástico é que posso aliar a viagem a uma roadtrip, porque adoro conduzir.

Os voos são sempre fáceis de encontrar. Basta aceder aqui e ficamos logo a saber todas as opções. Neste aspecto, o site da Momondo é super prático. Basta colocar os destinos e voilá! Conseguimos escolher as datas em que são mais baratos e tudo!

momondo

Um percurso que para mim poderia fazer sentido seria fazer o voo Porto Zagrev, ficando no máximo dois dias pela cidade! Com um carro alugado faria a viagem até aos lagos Plitvice, que distam a cerca de duas horas e meia da capital. Estes lagos são das coisas mais bonitas que se pode visitar na Croácia e é um destino obrigatório. Por esta zona, ficaria também uns dois dias no máximo, arrancando de seguida para a costa.

Zadar seria a próxima paragem, uma cidade importante e com inúmeros locais por visitar! De certeza que a gastronomia aqui é completamente diferente do interior e, por isso, também podia contemplar um passeio gastronómico pela cidade, já que a croácia ainda é um país mais barato que Portugal.

Depois de um dia de visita avançaria até Split, sempre de carro, e parando em sítios com praias maravilhosas. Já me estou a lembrar das praias da costa Amalfitana. Ouvi dizer que as da Croácia são ainda melhores!

Na volta, apanharíamos o voo de regresso em Split!

Já sei que estás a pensar que me esqueci de Dubrovnic, a mágica cidade! No entanto não me esqueci. Existem dois factores que, para já me levam a evitar esse destino. Por um lado a sobrelotação de turistas e por outro a distância. É que para ir até ao Sul ainda são umas largas centenas de quilómetros e, sendo assim, acho que prefiro deixar essa visita para outra oportunidade!

@momondo, #owtravelers #admomondo

Fim de 2018! Venha 2019

Olá

E terminou 2018! Foi um ano fantástico e obrigado a todos os que participaram nele, incluindo tu, que vês os meus vídeos e passas aqui pelo blog para tirares uma dicas. Aproveito também para referir o excelente input que a Momondo teve no meu trabalho de blogger de viagens, ajudando-me a criar melhor conteúdo, através do programa Open World Traveller.

Deixo-te com mais algumas imagens dos sítios por onde passei e filmei.

Este ano que passou tive como pano de fundo o verde dos Açores, a costa íngreme de Amalfi, a água azul e cristalina de Samana, o amarelo poderoso do Alentejo e claro, o nosso Porto! Podem ver os restantes vídeos das minhas viagens no canal Youtube (Já subscreveram?)

Como foi o teu ano? Que locais visitaste? A Momondo acompanhou o caminho dos portugueses e o publicou os destinos preferidos dos portugueses em 2018! Dá uma vista de olhos aqui!

Espero que 2019 corra tão bem como 2018!

Venha ele!

#owtravelers #admomondo

Praia de Santos – Exclusive Guest house

A guest house Praia dos Santos é um excelente local para uma estadia em Ponta Delgada. O serviço personalizado, distancia-nos das habituais cadeias hoteleiras, e faz-nos sentir em casa. O ambiente exclusivo e a decoração cuidada transmite-nos algum do conforto que procuramos quando viajamos.

Situa-se no centro do Bairro de São Roque, antiga zona de pescadores, ao largo da cidade de Ponta Delgada. Em cinco minutos estamos na baixa da cidade, pela marginal e tão rapidamente deslocamo-nos para outro qualquer lado da ilha, dada proximidade com a via rápida.

No entanto, o charme está todo lá dentro. Tem vista para o mar. piscina interior e um ambiente super acolhedor. A decoração é moderna e leve. Tudo parece novo e jovem.

_DSC9985
_DSC9981
_DSC9979
_DSC9976
_DSC9974
_DSC9973
_DSC9971
_DSC9968
_DSC9967
_DSC9966

A Lídia prepara-nos um pequeno almoço regional, com produtos da época. Todos os dias existe algo de novo para experimentar, como diferentes tipos de pão, queijos variados, sumos naturais e doces. Dado o ambiente familiar vamos tirando umas dúvidas sobre a região.

_DSC9952
_DSC9953
_DSC9954
_DSC9955
_DSC9957
_DSC9961
_DSC9962

A minha zona predilecta da casa era a zona comum. Adorei a vista para a piscina com as grandes janelas de vidro que deixavam entrar a luz natural do dia. Mas os quartos também eram maravilhosos: espaçosos, com imensa luz e conforto. Tínhamos espaço para pousar todas as nossas coisas e ainda andar livremente pelo quarto.

De manhã era possível acordar, abrir a janela e olhar para o amanhecer com o mar logo ali tão perto.

Temos de agradecer à Beatriz por nos ter acolhido estes quatro dias em S. Miguel.

www.praiadesantosguesthouse.com

Ilhas Cies. Caraíbas aqui tão perto!

No fim deste Verão decidimos ir às Cies, arquipélago espanhol à saída da ria de Vigo. Pronuncia-se como “sis” e não “seis”. Até porque são três ilhas – Monteagudo, Farol e San Martiño. A unir estas últimas está a famosa praia de Rodas, eleita em 2006 a praia mais bonita do mundo, pelo The Guardian, que deu um empurrão ao turismo do arquipélago.

As Cies podem ser visitadas de várias perspectivas: praia, natureza e desporto (caminhada). Visitando o site é fácil perceber a diversidade de actividades que podemos realizar. Para quem gosta desporto, pode fazer mergulho, caminhadas e kayak. Os preços são bastante acessíveis, por isso não há porque não experimentar algumas delas.

Para quem gosta de natureza também está bem servido. Desde a década de 50 que os espanhóis encaram este destino como reserva natural e tem evidentes medidas de preservação. Por exemplo, a entrada de turistas está limitado a 2200 pessoas por dia, não existem hotéis, apenas campismo, e verificámos que existe uma equipa de técnicos que cuidam da ilha.

IMG_31082017_172115IMG_31082017_150118IMG_31082017_085851DSC09313

Existe bastante vida pela ilha. Junto às praias, a água translúcida deixa ver muita variedade de peixes pequenos que se protegem dos predadores do alto mar. Pela praia e trilhos, também estamos sempre acompanhados pelos habitantes locais – As gaivotas. Existem cerca de  quinze mil exemplares espalhados pela ilha. E realmente são bastante observadoras. Não deixes os teus haveres a mais de uma braçada, pois podes ser alvo da sua curiosidade, especialmente no que toca à comida!!!

Para te deslocares para as ilhas tens contactar uma das operadoras – “Mar de Ons” ou “NABIA”. Comprei os bilhetes online com cerca de uma semana de antecedência. No entanto, em pleno Verão é bastante mais concorrido e convém fazê-lo com mais antecedência. Por exemplo os portos de Cangas e Baiona são menos concorridos. Fiz também a viagem de ida e volta no mesmo dia de Baiona. A travessia é calma, dependendo do estado do mar. Por exemplo, na ida, o catamaran era mais pequeno e sentia-se bem a ondulação. Na volta viemos num catamaran muito maior, que permitiu aproveitar a viagem.

DSC09312DSC09311DSC09309DSC09306DSC09303DSC09301

Achei que são necessários pelo menos dois dias para ver a ilha toda. De facto existem muitos pontos a ver, e as distâncias ainda são consideráveis. No check-in são fornecidos uns folhetos informativos com o que podes visitar, incluindo as distâncias e tempos necessários para chegar a esses pontos. Por exemplo, a volta completa à ilha são cerca de cinco horas a caminhar sem parar, o que deixa pouco tempo para desfrutar da praia.

A praia é fabulosa! Areia fina, água transparente e sem ondulação. – Se é fria? – É, claro! mas isso era de esperar. Estamos a norte e aqui não há hipótese! Ainda assim, dei vários mergulhos, porque estava tanto calor que não resisti em refrescar-me.

O restaurante da ilha não é caro e está situado junto ao cais de desembarque. Aí também existem uns carrinhos para os campistas levarem o material de campismo até ao parque.

DSC09304

O resto da semana ficámos no parque de campismo de Baiona. Fomos em família e foi uma excelente opção ficar por ali. Alugámos bungalows, acendemos os grelhadores e fomos para a piscina e praia do parque. Esta é mesmo ali ao lado. Alías, é só abrir a porta de vidro em frente ao bungalow e estamos com os pés na areia. Existe um bocado de moliço, mas isto é porque existe um canal da ria nas proximidades. Baiona é uma cidade piscatória e oferece tudo o que precisamos para uma semana de férias.

IMG_30082017_214055DSC09288DSC09264DSC09255

Instagram – @joaotiagoliveira
Facebook – @joaotiagoliveira.com

Viñales e Cascata Soroa

Para chegar à Cascata Soroa e a Viñales tens de alugar um carro. E neste caso, nada mais romântico do que alugar um clássico com chauffeur! O nosso Chevrolet de 1956 foi conduzido pelo Orlando, um ex-engenheiro, na casa dos 40 anos que nos fez companhia pelo oeste de Cuba.

DSC08411

Orlando é mais um dissidente do regime cubano. Farto do salário do governo, está agora ao serviço da Havanacar, onde pode sustentar a sua família de uma forma mais desafogada. Até Soroa são cerca de noventa quilómetros, uma hora por autoestrada. As paisagens são por vezes deslumbrantes, com o verde intenso a entrar-nos pela lente da máquina fotográfica. E no caminho podemos, vamos dando mais uma de letra, espremendo ao máximo os conhecimentos do engenheiro sobre a história de Cuba.

Sem sabermos, Orlando propõe-nos um desvio – Visitar Las Terrazas.

-“Não sei o que é isso!?”

– “Vais experimentar o melhor café de Cuba”- disse o Orlando

Situada na Serra do Rosário, Las Terrazas são um complexo eco-turístico. Ao pesquisar mais sobre este local, encontrei o site do mesmo. Para lá entrares tens de pagar 3 CUC por pessoa. Mais à frente no caminho, cruza-se um lago e começa a aparecer o aldeamento. É realmente um local muito bonito e calmo. O café que tomámos foi no Café da Maria, que não é mais que um pequeno terraço com seis ou sete mesas.
Estava uma manhã morna e húmida. Eram ainda sete horas da manhã e não estava aquele típico calor tropical. Vestidos com calções e t-shirt, o corpo estava a pedir um mimo. Aquele café de filtro, quentinho, feito na hora, veio reconfortar e relaxar-nos. Sentados a ver o nascer de dia, onde a luz ainda vem oblíqua, podemos levantar a cabeça e ver a paisagem fantástica que nos rodeava. Fantástico!
DSC08445DSC08439DSC08438DSC08446DSC08447

Como há viagens que começam com peripécias, esta não pode deixar de ser uma delas. Por um lado, tinha-me esquecido da carteira em Havana e estava sem dinheiro. E por outro, um dos pneus do Chevrolet estava a perder ar. Graças ao Orlando conseguimos resolver as duas situações. Emprestou-me cem CUCs e lá arranjou forma de resolver a fuga de ar. Podia ter sido pior! 🙂

DSC08449DSC08450

Saímos das Terrazas e continuamos rumo a Soroa. O Orlando parecia conhecer Cuba como a palma da sua mão. A meio caminho ainda parámos à beira da estrada para estar com uma vendedora de fruta. Fruta que nunca tínhamos visto ou provado. Uma das grandes vantagens de estar com um guia é esta mesmo. Sermos surpreendidos com os seus costumes.

DSC08459

Soroa é uma vila que dá nome à cascata. É outro bom local para parar a caminho de Viñales. Para visitar a cascata também é preciso pagar. A entrada foram seis Cuc. Vai-se caminhando, por um piso cimentado, lado a lado com a ribeira que vai desembocar no salto de água. São cerca de cinco ou dez minutos. Como chegámos cedo não estava ninguém apenas nós, o Orlando e… os mosquitos!! Mas tudo bem! Leva um repelente! 🙂

IMG_29062017_104552
DSC08502DSC08488DSC08460

A viagem até Viñales é que é um pouco mais demorada. Porquê Viñales? Podes visitar o museu do tabaco e do rum em Havana, mas não é a mesma coisa. Esta região de cuba é o local onde existem as maiores plantações de tabaco e de cana de açúcar. Ao visitar as herdades percebemos que também eles estão direccionados para o turismo. Foi-nos explicado o processo de produção do tabaco e do rum. E sem pagar mais nada, também podemos experimentar ambos. Quem quiser comprar, também o pode fazer aqui. Esta quinta que visitámos deu-nos a experimentar um Montecristo nº4. Eu não sou um apreciador de tabaco, mas o que fumei pareceu muito bom. 🙂

DSC08567DSC08570DSC08579DSC08604DSC08605DSC08608DSC08610DSC08612DSC08622DSC08628DSC08630DSC08631DSC08632DSC08643

Nesta mesma quinta, tínhamos a possibilidade de andar de cavalo. Por 10CUC andas cerca de meia hora pelos vales. Os cavalos estavam super domesticados e dava a impressão que podia cavalgar quilómetros que não teria problema. Por sorte, choveu torrencialmente ao terminar a cavalgada. Mesmo a tempo de nos enfiarmos no Chevrolet e dirigirmo-nos em direcção a Havana.

IMG_29062017_143304IMG_29062017_142908IMG_29062017_135051IMG_29062017_134616IMG_29062017_134329IMG_29062017_134320IMG_29062017_154635

Varadero

Como marcámos a viagem sem agência de viagem, tivemos de andar à procura de um transporte para Varadero. Existem várias possibilidades, desde o comboio, avião, taxi até ao autocarro. Este último foi o que escolhemos. Não fomos pela Via Azul, a transportadora cubana, que oferece bastantes destinos. Se tiverem curiosidade, basta visitar o site – viazul.com. Acabámos por comprar o nosso transfer no Hotel Inglaterra, no Parque Central de Havana, por 25 CUC. O autocarro tinha todas as condições para nos transportar e a viagem durou cerca de duas horas, com a grande vantagem de nos deixar no hotel que pretendêssemos.

Noutro post, já tinha deixado boas indicações do nosso resort, com video e tudo – o Ocean Vista Azul! O hotel prima pela sua localização. É fantástico entrar nestes hotéis de lounge aberto. Ao fundo vemos o mar. Dá vontade de deixar a mala e enfiarmo-nos  logo na infinity pool. “Mal posso esperar a hora de deixar o quarto já com os calções da praia vestidos”. Mas enquanto fazemos o checkin, recebemos um cocktail para ir refrescando do calor intenso.

DSC08855DSC08852IMG_01072017_124736

Em Varadero todos os hotéis encostados à praia têm catamarans e actividades gratuitas. A água é sempre quente e a areia fina, fazendo desta praia uma das referências mundiais. Os cubanos têm imenso orgulho nas suas praias. Dizem mesmo que é a melhor do mundo. E de facto é de bradar aos céus. Quem me dera viver uma temporada num sítio destes. Além de quente, a água tem imensa vida. Consegues nadar à beira dos peixes, descobrir pequenos corais encostados às falésias da praia e brincar com estrelas do mar. O bar junto à praia também ajuda na animação, com alguma música à mistura.

IMG_01072017_131235 (2)IMG_05072017_112704 (2)DSC08750DSC08875

Mas para quem não gosta de praia, tem piscina. Perto da principal havia sempre animação programada e cocktails do dia. Na hora do calor, preferia ir para os colchões com sombra e fazer uma bela sesta, longe do barulho da salsa cubana. Quando estava quente de mais, escorregava para piscina. Sabe tão bem! Outra vantagem dos resorts em regime TI é a possibilidade de te dirigires ao bar e pedires o que bem te apetecer para beberes, ou comeres, como por exemplo umas asinhas de frango com uma margarita a meio da tarde!

DSC08827

O nosso quarto ficava no edifício principal, virado para o mar. Todos os dias podíamos deitar-nos na poltrona da varanda e aproveitar o pôr do sol, antes ou depois do jantar, conforme o nosso apetite.

DSC08949IMG_01072017_202239

E por falar em apetite, umas férias estão quase sempre associadas a comer e beber bem. Por isso, se vieres a Varadero tens de aproveitar os restaurantes temáticos. O dress code é sempre mais apertado e podes tornar a tua noite mais glamourosa, com empratamentos requintados de comida deliciosa. Sempre que posso, evito o Buffet à hora de jantar.

Depois de jantar, sabe bem dar uma caminhada pelos passeios do resort, ladeados por relva e iluminação subtil. Depois é hora de ouvir um pouco de música cubana junto ao bar. Com um copo de rum envelhecido ou um cocktail para as senhoritas, desfrutamos de um pouco de Salsa, jazz ou meregue, antes de ir para o quarto descansar.

DSC08790IMG_06072017_064609DSC08763DSC08684DSC08858

Participa e ganha um Protector Solar Orgânico

Protege-te contra o Sol neste Verão. A loja online Girassol está a oferecer uma embalagem de 200ml do Protector Solar Orgânico Aloe Vera. Para receberes esta embalagem tens de participar no passatempo que está a decorrer até dia 1 de Agosto, em exclusivo na página do facebook @joaotiagoliveira.com.

ORGANIC PROTECTOR SOLAR FACT25 ALOE VERA 200ml
Indicações Terapêuticas:

  • Efeito hidratante e calmante da pele
  • Protecção contra os raios UVB e UVA
  • Rico em antioxidantes
  • Propriedades antibacterianas, regenerativas, anti- inflamatórias e anti-sépticas

Para ficares habilitado/a a este sorteio tens de clicar neste link e validar todos os pontos de entrada. Depois disso deves reveber um e-mail de confirmação.

Exemplo:
Sem título
Participa e protege-te contra o Sol.

Fim de semana no Vila Galé Ericeira

DSC00253

Convido-vos a passarem um fim de semana às portas de Lisboa. Especialmente bem alojados no Vila Galé Ericeira, um hotel fenomenal pousado à beira mar.

Do Porto demoramos cerca de três horas a chegar à Ericeira. É uma boa viagem para se fazer pela manhã. Eventualmente podemos parar em Aveiro para um café e um ovo mole.

Chegando à Ericeira sente-se logo o ambiente surfista da vila. As casas caiadas de branco, o céu azul e algumas pranchas pousadas à beira dos muros, empurram-nos para o mar, procurando os surfistas que já andam por lá.

DSC00234DSC00244

O Hotel Vila Galé fica protegido por um pedaço de terra que entra pelo mar. Protegido pelas marés e dos ventos, proporciona uma excelente vista da Praia do Sul. Esta, sendo um pouco rochosa, esconde lagoas e recantos que é possível descobrir num dia solarengo.

À tarde, quando o sol já bate forte, sabe bem ficar pelas piscinas do Hotel, a beber um refresco e a comer uns petiscos, na expectativa de ver o pôr do Sol. O spa também é por ali perto, e podemos desfrutar das instalações junto às piscinas.

DSC00250DSC00261DSC00266DSC00267DSC00277

Depois de jantar, aventuramo-nos no bar. Com uma noite agradável é possível vir cá fora e ouvir as ondas do mar, que passam ali mesmo.

DSC00283.jpg

Despertando, cresce a ansiedade do pequeno almoço. É excelente levantar e acolher logo pela manhã o mar ali tão perto. Aqui apercebemo-nos de todo o esplendor do posicionamento do hotel. Parecemos estar dentro do mar. O Sol, que se vai levantando, vai invadindo as brumas da noite, ainda envoltas na névoa matinal. Uma paisagem inspiradora para quem procura um pouco de descanso e vistas desafogadas.

DSC00288DSC00290DSC00291DSC00293DSC00297DSC00298DSC00310

Outras facilidades do Hotel Vila Galé Ericeira

  • um restaurante
  • dois bares
  • salas para eventos e reuniões empresariais
  • clube de crianças e parque infantil
  • clube de saúde com salas de massagens, jacuzzi, sauna, banho turco
  • ginásio

Algarve, 4 coisas imperdíveis

Ainda não tinha escrito sobre a ida ao Algarve, no Verão passado. Com esta chuva e o frio do Inverno, sabe bem lembrar o tempo quente e a água transparente do sul de Portugal. É óptimo viajar para um destino quente a meio do nosso Inverno. Como este ano ainda não tive planos para tal, vamos com o meu blog. Faz um chá, cobre os joelhos com uma manta e vem daí.

O Algarve é uma zona de eleição para férias. Tem tudo o que precisamos para passar uns dias, fora do rebuliço do dia a dia do trabalho. Durante muitos anos passei temporadas de férias no Algarve e é uma zona que conheço bem. Desde as praias, aos parques de diversão, os restaurantes, o tempo. É decididamente uma zona que tens de explorar.

O Algarve divide-se em “dois”. O barlavento e o sotavento. Chama-se assim por causa das direcções dos ventos. De qualquer das formas, em termos paisagísticos, as praias são também diferentes. Por exemplo, a Barlavento (de Sagres até Albufeira) tem praias encaixadas em falésias, com muitas formações rochosas. O Sotavento, pelo contrário tem praias com areia mais fina.

Então, se fores ao Barlavento há coisas que tens que visitar. Não fiques a semana toda na mesma praia e aproveita para conhecer o Algarve. Aqui estão quatro alternativas.

1º – Praias escondidas

No Algarve não falta alojamento. Nós optámos por ficar em Portimão. Daqui, e de carro planeámos conhecer as mais famosas praias desta zona. No caminho, junto às estradas encontrámos figueiras que nos ofereciam deliciosos figos. Por isso, sempre que puderes, evita as auto-estradas. No GPS, basta optares pelo caminho sem portagens, que inevitavelmente vais encontrar estas dádivas da natureza.

Praia Dona Ana

Esta praia, localizada em Lagos, é uma verdadeira delícia. Acabámos por visitar duas vezes. Protegida pela Ponta da Piedade, quase não tem ondulação. Maravilhosa para umas férias de família com crianças, já que o mar é mesmo calmo. Na maré baixa é possível nadar um pouco e entrar em praias inacessíveis. O estacionamento não é fácil.

dona-anadona ana 1.png

Praia de Benagil

Para chegares a Benagil, tens de ir na direcção contrária. Podes aproveitar para conhecer a gruta mais famosa do mundo… e arredores 🙂 – O algar de benagil. De qualquer das formas a praia é linda. Pode-se subir pela escarpa do lado direito e observar os aventureiros a saltar a mais de 20 metros de altura. A Redbull ainda não encontrou spot para saltos acrobáticos. Por isso o máximo que vais ver são chapas de amadores.

benagilDCIM102MEDIA
dsc01351
Praia Castelos

Esta praia está situada entre a praia do Vau e da Rocha, as mais conhecidas de Portimão. Foi num daqueles dias de Verão, em que o calor fica, até as oito da tarde, a fazer força para continuarmos deitados na areia, que ficámos para ver o pôr do sol. Não estávamos sós. Dezenas continuavam a ir à água, a jogar à bola ou simplesmente a aproveitar os últimos momentos de luz.

dsc01277dsc01280dsc01240dsc01242dsc01263

Praia do Vau e Praia da Rocha

Como referi atrás, estas são as mais conhecidas de Portimão. Não cheguei a estender a toalha na Rocha. É demasiada confusão para mim. Passei lá, numa caminhada matinal, logo depois de deixar as coisas no areal. Quanto à praia do Vau, esta é bastante mais calma. Óptima para tomar aquele café da manhã, na esplanada, enquanto ainda está uma temperatura amena!

dsc01235dsc01281
DSC01287.JPG
2º Ria Formosa e a praia de Faro

Ter tempo livre nas férias permite sair da rotina e ter novas experiências. Através do Ciência Viva, aproveita para marcares uma actividade. Na época do Verão existem sempre programas gratuitos, que te permitem descobrir novas áreas de interesse. Os programas disponibilizados existem por todo o país, não só no Algarve. Nós fizemos a pesquisa e marcámos uma experiência de caiaque na Ria Formosa. O nosso guia foi um professor universitário que explicou a biodiversidade da Ria. Foi uma mini-aula, onde podemos aliar o desporto e o conhecimento. Excelente!

Depois desta actividade fomos à praia de Faro. Com pouquíssima gente, podemos estender as toalhas na praia à vontade, sem que ninguém estivesse em cima de nós. A água estava muito quente!

riaDCIM102MEDIA
3º Ponta da Piedade

A minha vontade de visitar este cabo nasceu quando vi uma fotografia de uma amigo, no Instagram. Realmente, tens de vir aqui e dar uma volta de barco para conhecer a Ponta da Piedade. Podes fazê-lo quando visitares a Praia Dona Ana, em Lagos. É fácil chegar até aqui. Toda a cidade tem imensos placards direccionais. A vista é maravilhosa.

DCIM102MEDIAdsc01298dsc01512-2dsc01513-2
4º Grutas de Benagil

O grande ex-librís do Barlavento são as grutas de Benagil, nomeadamente o Algar de Benagil. Uma enorme gruta, com uma abertura no topo. Já tinha escrito um post sobre este tema, mas deixo-vos o video e algumas fotos para se deliciarem com a visita.


dsc01378dsc01389

Escapadela no Palácio da Pena

Este é um daqueles locais onde já tinha desejado estar, talvez picado pelas leituras da minha infância, onde a história puxava para estes cenários românticos. Numa ida a Lisboa, aproveitei por planear visitar o Palácio da Pena e a vila de Sintra. Alinharam-se os astros para um um dia lindíssimo e um sol quente de Outono.

dsc02856dsc02855dsc02841dsc02838dsc02837

O Palácio da Pena, tal como o conhecemos hoje, é símbolo do Romantismo (expressão artística do século XIX). Já foi uma capela, um mosteiro e residência de famílias reais. Hoje é um dos museus mais visitados de Portugal, com cerca de  700 000 visitantes por ano. Edificado no topo da serra de Sintra, a seus pés espraia-se a vila com o mesmo nome – Sintra. Num dia limpo, conseguimos ver Lisboa e toda a costa portuguesa ali perto. A toda a volta, desenha-se uma grande planície, como que destacando o próprio palácio na paisagem.

No museu podemos observar a decoração de vários espaços (Salão Nobre, Sala dos Veados, Sala Árabe, gabinetes, claustros….), pinturas, esculturas e, dada a riqueza dos objectos que ainda aí permanecem, imaginamos ainda o quotidiano do palácio, em outras épocas.

dsc02839dsc02841dsc02844

Depois de um passeio pelos jardins, nada melhor que uma descida à vila de Sintra. Acabamos por almoçar numa churrasqueira típica – Somos um Regalo, uns maravilhosos frangos de churrasco. Para sobremesa, demos um salto ainda a uma pastelaria conhecida na zona pelos doces típicos – Casa do Preto. Aproveita e delicia-te com os travesseiros de Sintra.

Saciados, arrancámos para um fim de tarde no ponto mais a Oeste do continente Europeu – Cabo da Roca e no Guincho.

dsc02873dsc02866dsc02858dsc02857

Dicas:

  • A fila para a aquisição do bilhete para o Palácio da Pena pode, por vezes exceder os limites da paciência. No entanto, acabei por comprar online, no site oficial, no próprio local e com desconto.
  • Bilhete adulto para o palácio e parque – 11,50€
  • Ao domingo, a visita ao palácio é grátis para residentes do município