Mochila Caminhada Escape 20L

A mochila de caminhada Escape 20L da Quechua é o tema de hoje! Há muito tempo que procurava uma mochila tão versátil quanto esta e finalmente encontrei. É certo que a Decathlon sempre teve mochilas fantásticas, no entanto, esta é fora de série para o meu tipo de viagens.

Por um lado procuro espaço para fazer as malas sem que isso prejudique as regras das bagagem de mão/cabine. É portanto uma mochila que podes levar no avião, perto de ti, com todos os teus pertences de maior valor, pois cumpre com as dimensões requeridas. Por outro lado, a mochila é muito confortável e tem imensos compartimentos, precisamente o que preciso para uma viagem em cidade, montanha ou passeio.

DSC08579

Comprei-a este verão por apenas 22€!! O preço é fantástico para todas as qualidade que a mochila possui. E além disso é bem gira para não teres que a tirar quando tiras uma foto.  🙂

IMG_28062017_181901

Estava farto de ter aquelas mochilas sem compartimentos. Cada vez que parava para tirar algo, estava tudo ao monte e fé em Deus. Agora não! Passo então explicar as grandes vantagens:

  • As alsas e o apoio das costas da mochila permitem que tenhas sempre uma postura correcta. Além disso são super arejáveis e deixei de ter aquela sensação de suor nas costas. Consigo assim andar sem que me sinta molhado e com mal estar.
  • A Escape 20 tem também uma capa impermeável para a proteger da chuva ou salpicos, caso andes de bicicleta. Assim, mantém-se sempre limpa e protegida.
  • Para além disso, sendo que é a grande vantagem da mochila, os imensos compartimentos. Ao todo são dez, que me permitem separar a quinquilharia toda. Na bolsa grande coloco o Drone, um tripé e a máquina fotográfica. Junto às costas, existe um compartimento vertival, com fecho exterior que permite colocar um mapa ou o portátil. Nos restantes compartimentos separo tudo o resto: Passaporte, carteira, powerbank, fios, telémoveis, água, snacks, óculos de sol, entre outros. Cabe tudo e ainda sobra espaço.
  • Por fim, a Decathlon ainda oferece 10 anos de garantia. Uau! Só espero que daqui a dez anos ainda façam coisas destas!!

Sem dúvida uma grande mochila e um “must have” para as tuas viagens!
Obrigado Decathlon!DSC07972

Ilhas Cies. Caraíbas aqui tão perto!

No fim deste Verão decidimos ir às Cies, arquipélago espanhol à saída da ria de Vigo. Pronuncia-se como “sis” e não “seis”. Até porque são três ilhas – Monteagudo, Farol e San Martiño. A unir estas últimas está a famosa praia de Rodas, eleita em 2006 a praia mais bonita do mundo, pelo The Guardian, que deu um empurrão ao turismo do arquipélago.

As Cies podem ser visitadas de várias perspectivas: praia, natureza e desporto (caminhada). Visitando o site é fácil perceber a diversidade de actividades que podemos realizar. Para quem gosta desporto, pode fazer mergulho, caminhadas e kayak. Os preços são bastante acessíveis, por isso não há porque não experimentar algumas delas.

Para quem gosta de natureza também está bem servido. Desde a década de 50 que os espanhóis encaram este destino como reserva natural e tem evidentes medidas de preservação. Por exemplo, a entrada de turistas está limitado a 2200 pessoas por dia, não existem hotéis, apenas campismo, e verificámos que existe uma equipa de técnicos que cuidam da ilha.

IMG_31082017_172115IMG_31082017_150118IMG_31082017_085851DSC09313

Existe bastante vida pela ilha. Junto às praias, a água translúcida deixa ver muita variedade de peixes pequenos que se protegem dos predadores do alto mar. Pela praia e trilhos, também estamos sempre acompanhados pelos habitantes locais – As gaivotas. Existem cerca de  quinze mil exemplares espalhados pela ilha. E realmente são bastante observadoras. Não deixes os teus haveres a mais de uma braçada, pois podes ser alvo da sua curiosidade, especialmente no que toca à comida!!!

Para te deslocares para as ilhas tens contactar uma das operadoras – “Mar de Ons” ou “NABIA”. Comprei os bilhetes online com cerca de uma semana de antecedência. No entanto, em pleno Verão é bastante mais concorrido e convém fazê-lo com mais antecedência. Por exemplo os portos de Cangas e Baiona são menos concorridos. Fiz também a viagem de ida e volta no mesmo dia de Baiona. A travessia é calma, dependendo do estado do mar. Por exemplo, na ida, o catamaran era mais pequeno e sentia-se bem a ondulação. Na volta viemos num catamaran muito maior, que permitiu aproveitar a viagem.

DSC09312DSC09311DSC09309DSC09306DSC09303DSC09301

Achei que são necessários pelo menos dois dias para ver a ilha toda. De facto existem muitos pontos a ver, e as distâncias ainda são consideráveis. No check-in são fornecidos uns folhetos informativos com o que podes visitar, incluindo as distâncias e tempos necessários para chegar a esses pontos. Por exemplo, a volta completa à ilha são cerca de cinco horas a caminhar sem parar, o que deixa pouco tempo para desfrutar da praia.

A praia é fabulosa! Areia fina, água transparente e sem ondulação. – Se é fria? – É, claro! mas isso era de esperar. Estamos a norte e aqui não há hipótese! Ainda assim, dei vários mergulhos, porque estava tanto calor que não resisti em refrescar-me.

O restaurante da ilha não é caro e está situado junto ao cais de desembarque. Aí também existem uns carrinhos para os campistas levarem o material de campismo até ao parque.

DSC09304

O resto da semana ficámos no parque de campismo de Baiona. Fomos em família e foi uma excelente opção ficar por ali. Alugámos bungalows, acendemos os grelhadores e fomos para a piscina e praia do parque. Esta é mesmo ali ao lado. Alías, é só abrir a porta de vidro em frente ao bungalow e estamos com os pés na areia. Existe um bocado de moliço, mas isto é porque existe um canal da ria nas proximidades. Baiona é uma cidade piscatória e oferece tudo o que precisamos para uma semana de férias.

IMG_30082017_214055DSC09288DSC09264DSC09255

Instagram – @joaotiagoliveira
Facebook – @joaotiagoliveira.com