Nimes, Sète, Carcassone e Lourdes -Viagem pelo mediterrâneo

Adeus Suiça, olá França!

O Cantão de Genebra é como uma península. A fronteira, em vez de ser banhada por mar, é circundada pelas terras Francesas da região de Lyon. Por isso, saindo de Genebra, quase todos os caminhos vão embocar a França. O nosso próximo destino seria a região de Languedoque-Rossilhão. O nome parece um pouco agressivo, especialmente para quem tem como vizinhança a chique Cote d’Azur. 🙂

Até Nimes são 400 km de viagem, a primeira paragem. A viagem faz-se bem porque é sempre a descer desde o alto dos Alpes. Na viagem vemos que podíamos ter feito outras paragens, como Lyon ou Annecy, a veneza dos Alpes. Mas fomos seguindo.

Nimes

Considerada a Roma francesa, pela imponente Arena e arquitectura romana, Nimes fica no sul de França. Também podes visitar o Tempo Maison Carrée. No entanto, parámos apenas para descansar, dar uma volta e arrancar. O nosso próximo destino era bem mais entusiasmante.

Sète

Esta cidade foi uma verdadeira surpresa. Uma autêntica Veneza francesa. Eu, que sou de Aveiro, identifiquei imensos pontos em comum, também com a minha cidade. Em primeiro lugar, centenas de barcos atracados pelos canais calmos da cidade. Estes encruzilhados pela cidade, ligam o Lago de Thau com o Mar Mediterrâneo. Por sorte, chegamos durante as festividades a S. Luís, Santo patrono da cidade e do Porto. Nas ruas espalhava-se a feira, e toda a cidade estava enfeitada para as festividades.

sete-barco

sete

Carcassone

Esta é uma cidade medieval. A grande atracção é a cidadela, património Mundial. Na cidadela podemos passear pelas ruas estreitas, e encontrar lojas tipicamente turísticas e cheias de recuerdos. Nas praças desfrutas dos espectáculos dos artistas de rua, que ora cantam ou tocam.

carcassonne_cite
DIGITAL CAMERADIGITAL CAMERADIGITAL CAMERA
Lourdes
Foi a última paragem antes de chegar a Portugal. Lugar de culto, Lourdes tem um imenso santuário, onde se venera Nossa Senhora de Lourdes, pelas suas aparições no século XIX. Na manhã em que visitámos, estava uma morrinha que transmitiu uma certa paz e sobriedade ao lugar. O espaço para contemplação é imenso, existindo imensos pontos de coincidência com o nosso Santuário de Fátima.


Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.