Badoca Safari Park


Visitar o Badoca Safari Park é sair e ir até…África. E aqui tão perto, sabe mesmo bem passar um dia a observar algumas espécies não nativas, como por exemplo as girafas, os búfalos, zebras, lémures, macacos entre tantos outros.
Imperdível é o Safari. Ter a possibilidade de estar perto de algumas espécies e vê-las em livre trânsito transporta-nos, em pequena escala, para o dia a dia da Savana. Fantástico ver aqueles animais, ainda que dentro de um parque, mas livres, sem os gradeamentos comuns dos zoos. Para além disso, esta visita também se torna pedagógica. A nossa geração e as que vêm, têm de aprender a respeitar a vida dos animais nos seus habitats naturais. E aqui ficamos com um ideia de como poderia ser esse mundo, que cada vez mais, definha.
Mas o Badoca, não termina aqui. Pegando no mapa, aqui vamos nós. Entre os trilhos e passeios, lá vão surgindo mais e mais animais. Uns sozinhos, outros em grupo, como os lémures. Deve-se aproveitar sempre os horários de alimentação dos vários animais, para os ver mais de perto e, como é claro, acompanhar as explicações do staff do parque.
Para além do vídeo, deixo-vos também algumas fotos, dos momentos capturados.
Vejam também a visita pela Costa Vicentina.
dsc00990dsc00999dsc01041dsc01055dsc01072dsc01073dsc01005
dsc00932dsc00941dsc00975
Visitar
Todo o ano, as 9:30 às 18:30
Bilhetes
Adultos – 17,50€
Crianças (4 aos 10 anos) – 15,50€
Séniores (+ 65 anos) – 15,50€
Família (2 adultos + 2 crianças) – 60€ (Bilhete válido apenas na bilheteira do Parque)
 
 

Bacalhôa Buddha Eden


Escrevo este post depois de ter feito a viagem à Tailândia (Bangkok e Krabi). Agora que olho para trás, tudo faz mais sentido. Os símbolos presentes nesta religião, chegam até nós no Bacalhôa Buddha Eden, num passeio que se pode fazer em qualquer altura do ano.
O Jardim do Éden, no Bombarral transporta-te para a cultura budista, com as grandiosas estátuas e fenomenais jardins. Mas isto não chegava se a envolvência e a sequência entre os vários elementos do jardim não fosse perfeita. E é! Situado num pequeno vale, à medida que vamos descobrindo o parque conseguimos desfrutar, aqui e ali, de uma panorâmica geral. Decidimos de um ponto mais alto, para onde queremos ir.
As várias zonas vão surgindo, com transições tranquilas de vegetação verde, passagens de água e caminhos calcetados.
Muitas vezes, só depois de estarmos no meio de uma cultura desconhecida, é que nos perguntamos acerca da simbologia. Por isso achei importante deixar aqui algumas definições da cultura Budista:

  • Budismo é uma religião sem Deus – refere-se a uma forma de viver.
  • O Buda não é o Deus gordo da sorte (essa imagem pertence a outra religião – Xintoísmo). A imagem de Buda é normalmente retratada de três formas (de pé, sentado e reclinado). De pé, com a mão levantada, simboliza o acto de benção e de reafirmação. Sentado, representa a meditação. Por fim, deitado representa o fim da vida de buda.
  • A Flor de Lótus representa a pureza, perfeição, sabedoria, o sol, o renascimento. Nesta religião, a flor é a imagem do coração, que se abre quando se desenvolvem as virtudes do budismo.

 
Visitar o Bacalhôa Buddha Eden
Horário – 9:00 às 18:00
Entrada 3€ (mais 3€ se quiserem fazer o passeio de comboio). Entrada livre até aos 12 anos
Fácil estacionamento

Porto Bridge Climb

De certo que nem todos os portuenses se aventuraram, ainda, a subir a única ponte “escalável” da Europa. Mas apressem-se!


Chegando, começas a estabelecer contacto visual com o meio envolvente. Olhas para a esquerda, e depois para a direita, tentando perceber como vai ser a subida. De repente, és recebido com um sorriso e um “Olá!”. A equipa é simpatiquíssima!
Pendurados numa varanda, revelam-se os equipamentos de segurança que te vão acompanhar até lá acima. De repente, começas a construir mentalmente a tua escalada. Apercebes-te dos degraus e de uma parábola que no início é muito acentuada, mas que vai diminuindo à medida que se avança.
Não importa a hora a que vais, vai ser sempre fabuloso. De um lado, o Porto “cidade”, entrelaçado com Gaia, que também está presente. Do outro, o Porto “lazer”, calmo e sereno, com a foz do Douro, que faz balouçar os barcos.
A ponte da Arrábida é o único local do Porto que te permite ter estas duas vistas em simultâneo. É impossível haver outro ponto, dada a geometria que o Douro traçou pela cidade.
Aproveita. Vai ser inesquecível!
 
De 2ª a 6ª feira – 9,50€ (das 13:30 às 21:00)
Sábados, Domingos – 12,50€ (das 13:30 às 21:00)
Não é necessário reservar, mas é recomendável, especialmente para grupos.
Duração da actividade: 30 minutos e inclui uma surpresa.
 
 
DSC00799DSC00800DSC00801DSC00805DSC00808DSC00812DSC00819
DCIM102MEDIA
DCIM102MEDIA